banner topo

Artigo: A coerência é um porto seguro - João Vicente Claudino

Ex-senador responde ex-prefeito Silvio Mendes

Por (Redação) em 11/10/2021 às 21:35:35

A coer√™ncia é um porto seguro

Jo√£o Vicente Claudino

No √ļltimo domingo, fui surpreendido com uma matéria no portal GP1 na qual S√≠lvio Mendes faz declara√ß√Ķes que, em suas palavras, s√£o "provoca√ß√Ķes".

Ao agradec√™-lo pelas coloca√ß√Ķes, também aproveito a oportunidade para esclarecer alguns pontos de suas falas.

Sou ex-senador da Rep√ļblica (2007 a 2015) e fui candidato a governador em 2010. Lancei meu nome e concorri apenas por duas oportunidades a cargos eletivos. Silvio tem mais experi√™ncia eleitoral do que eu. É mais pol√≠tico até. Concorreu a cargos eletivos em quatro oportunidades. Foi ex-prefeito pelo PSDB de 2005 a 2010, ex-candidato a governador pelo PSDB em 2010, ex-candidato a vice-governador na chapa com o MDB em 2014.

Da minha parte, ele poderia ter concorrido em 2020 a prefeito de Teresina. Seria, portanto, seu quinto pleito eleitoral. Naquele momento, era um bom nome, raz√£o pela qual o lancei ao cargo e até me coloquei à disposi√ß√£o para ser seu vice-prefeito numa chapa. Seria a primeira vez que aceitaria concorrer à vice de alguém.

A coer√™ncia me faz ser fiel à fam√≠lia, aos amigos, aos correligion√°rios e ao próprio partido.

Há 24 anos comecei minha jornada política. Durante esse período fui filiado ao PSDB, entre 1997 e 2000, e no ano de 2001 migrei para o PTB permanecendo por 20 anos em seus quadros.

A pol√≠tica, pra mim, n√£o é uma carreira, mas sim, uma miss√£o. Uma prova disso é que fui candidato ao Senado quase 10 anos após assinar a primeira ficha de filia√ß√£o partid√°ria. Sem a√ßodamentos, esperei o momento de contribuir politicamente com meu povo. Após oito anos, deixei aquela Casa sem nenhum apego ao cargo, nenhum processo ou investiga√ß√£o, após cumprir minha miss√£o, sem m√°culas.

Quando acreditei que poderia cumprir uma nova miss√£o em favor da minha Terra, fui candidato ao governo do Piau√≠ em 2010. Carregava comigo um projeto de Estado, de desenvolvimento social e econômico. E ainda carrego. A grande vitória naquele ano foi conhecer ainda mais de perto a realidade do Piau√≠. Ainda carrego comigo este sonho compartilhado com muitos piauienses, n√£o nego. Com um time de pessoas sérias, comprometidas, honestas e capazes, podemos sim provocar fortes mudan√ßas pol√≠ticas, econômicas e sociais no Piau√≠.

Silvio Mendes afirmou que "tudo que a fam√≠lia Claudino teve foi constru√≠do aqui no Piau√≠. Ent√£o, ele tem que devolver isso como nós todos estamos oferecendo".

O ex-prefeito de Teresina est√° certo. Foi o Piau√≠ a terra escolhida pelo meu pai para plantar as sementes de um grupo empresarial que, com muito esfor√ßo e trabalho, se tornou uma refer√™ncia em todo o pa√≠s de como é poss√≠vel dar certo empresarialmente no Nordeste do Brasil. Nós escolhemos o Piau√≠ e essa terra nos abra√ßou. Seu povo se tornou a nossa gente.

E é por isso que todos os dias, sem exce√ß√£o, retribu√≠mos tudo que recebemos do Piau√≠. Silvio Mendes afirmou: "ele [Jo√£o Vicente] tem que devolver isso como nós todos estamos oferecendo".

Devolver é um verbo comum usado em pr√°ticas pol√≠ticas pouco republicanas que recha√ßamos. Prefiro o verbo retribuir.

Por exemplo, retribu√≠mos trabalhando incansavelmente para sermos o maior gerador de empregos do Estado. Retribu√≠mos sendo um dos maiores contribuintes de ICMS do Piau√≠. Retribu√≠mos através de apoios a projetos sociais sérios que cuidam dos mais vulner√°veis e levam também oportunidade de inser√ß√£o ao mercado de trabalho. Retribu√≠mos sendo o maior investidor individual de projetos na √°rea cultural. Retribu√≠mos sendo um dos maiores investidores do esporte piauiense.

Muitas das nossas a√ß√Ķes s√£o em sil√™ncio. "A palavra convence, o exemplo arrasta", disse o Padre Antonio Vieira. Lutamos sempre para sermos e darmos um bom exemplo de trabalho.

Quanto ao amigo e ex-prefeito S√≠lvio Mendes, acredito que suas declara√ß√Ķes foram como as de um pescador. Barcos s√£o movidos pela correnteza ou pelo esfor√ßo dos bra√ßos que remam. Prefiro remar, mesmo que, às vezes, contra correntezas. É que somente assim encontramos o porto seguro da coer√™ncia.

Fonte: meionorte

Comunicar erro

Coment√°rios