banner topo

Em julgamentos na comarca de Valença, MPPI obtém condenações de dois réus por homicídios cometidos na cidade de Pimenteiras

Ambas as sessões foram presididas pelo juiz de Direito Franco Morette Felício de Azevedo

Por (Redação) em 20/11/2021 às 10:07:41

Nos dias 17 e 18 de novembro, o coordenador do Grupo de Apoio aos Promotores de Justiça com Atuação no Tribunal do Júri (Gaej/MPPI), Márcio Giorgi Carcará Rocha, e a titular da 1ª Promotoria de Justiça de Valença, Débora Geane Aguiar Aragão, participaram de sessões de julgamento do Tribunal do Júri, relacionadas a homicídios ocorridos na cidade de Pimenteiras, a 258 quilômetros de Teresina.

Na quarta-feira, 17, foi julgado o réu Antônio Airton Macedo Teixeira. O Ministério Público sustentou a tese de homicídio qualificado por motivo fútil. O crime ocorreu no dia 18 de agosto de 2012, por volta das 4h da manhã. O acusado efetuou dois disparos contra José Djanilson Leal da Silva, com quem tinha uma desavença de natureza política. A conduta social do réu foi considerada desabonadora, pois este transitava ostensivamente armado por Pimenteiras, conquistando a fama de perigoso junto à comunidade. Antônio Airton foi condenado a 18 anos de reclusão.

Na quinta, 18, foi realizado o julgamento do réu Josenilson Pires Meneses. O crime ocorreu em 28 de janeiro de 2021, por volta de 1h da madrugada, na localidade Torres, também em Pimenteiras. Raimundo Nonato Alves Costa foi morto a facadas, provavelmente enquanto dormia, conforme relatório constante no inquérito policial. Na sentença, foi destacada a elevada culpabilidade, em virtude da brutalidade das agressões. Reconhecida a materialidade do crime e a qualificadora de utilização de recurso que impossibilitou a defesa da vítima, o réu foi condenado a 15 anos de reclusão.

Ambas as sessões foram presididas pelo juiz de Direito Franco Morette Felício de Azevedo.

Fonte: Ascom

Comunicar erro

Comentários